por | jun 7, 2021

ERP: 5 tendências que você deve seguir em 2021

Quando olhamos para 2020 e tentamos identificar quais foram as inovações que a pandemia da Covid-19 acelerou, o termo transformação digital aparece praticamente em todos os tipos de indústrias. 

Mas isso vem de antes. O mundo corporativo já vem flertando com a transformação digital há tempos. 

Por exemplo, cinco anos atrás, 55% das companhias sem um programa de digital transformation já pensavam em dar os primeiros passos neste sentido no ano seguinte. 

Mas a questão é que, em 2017, o interesse por processos mais ágeis e baseados em ferramentas digitais representava mais uma vantagem competitiva do que uma necessidade imperativa. 

E aqui sim, conectamos diretamente com a crise sanitária do coronavírus: sem podermos sair de casa, como ter acesso às ferramentas de trabalho? O que fazer para que uma multidão de funcionários pudessem desempenhar suas funções em regime home office?

Talvez este tenha sido um dos principais motivadores do boom da transformação digital. 

E no mundo empresarial, não há transformação digital sem a presença de um ERP (Enterprise Resource Planning), ou sistema integrado de gestão empresarial, em sua versão em português. 

Os ERPs as demandas do mercado em 2021

Olhando para trás, especificamente para a década de 90, veremos o surgimento do primeiro ERP da história. 

Criado pela SAP, uma indústria alemã dedicada à criação de sistemas, aplicativos e produtos para processamento de dados, buscava centralizar todas as ferramentas de gestão em um só ambiente. 

Os ERPs nasceram com um objetivo muito claro: otimizar os processos de gestão por meio da integração de soluções tecnológicas que compartilham uma mesma base de dados e podem usá-la das mais diversas formas. 

As dificuldades, antes, eram outras. 

Agora, os anos ‘20 apresentam novos desafios, que os ERPs já estão incluindo em sua evolução. Mais do que um software, a metodologia que dá forma aos enterprise resource plannings faz com que estas plataformas estejam sempre um passo à frente. 

Para dar uma melhor ideia do que estamos falando, confira as tendências que você deve seguir este ano. 

#01 ERP em Cloud

Historicamente, muitas organizações usavam soluções ERP locais, e nem sempre viam com bons olhos a possibilidade de migrar para o uso de sistemas na nuvem, inclusive tendo que mover seus bancos de dados para ambientes externos. 

O que 2020 deixou claro e agora, em 2021, não pode ser mais ignorado, é a necessidade de contar com todas as funcionalidades de um ERP, só que fora do ambiente das empresas. 

A transformação digital precisa ir além dos limites físicos de uma organização. O trabalho remoto chegou para ficar e sua força de trabalho tem que funcionar independentemente de sua localização. 

Entre outras vantagens de um ERP na nuvem, podemos também citar o menor custo de implementação dos sistemas (na casa dos 30% de economia), um SLA que garante menos de dois minutos por mês com o sistema fora do ar e, por último, a ausência de investimentos em hardware, já que tudo funciona online. 

Estas e outras estatísticas você pode conferir em nosso artigo específico sobre o assunto, entre no post “ERP SAP em Cloud: o que sua empresa tem a ganhar com essa tecnologia?”, se quiser ler mais sobre isso. 

#02 ERP com múltiplos níveis

Se antes as empresas usavam um mesmo sistema ERP tanto na sua matriz como nas filiais, esta prática acabou se mostrando cara e complexa de implementar. 

É comum que as subsidiárias tenham requisitos especializados, sem que seja necessário usar todas as funcionalidades do sistema principal. 

Por isso surgiu o conceito de ERP com diferentes níveis, ou two-tier ERP, em sua expressão original. Esta é uma estratégia que faz com que as organizações alavanquem seus investimentos ao implementar, por exemplo, mantendo uma solução mais completa para a matriz e usar um ERP mais simples nas filiais. 

Este tipo de abordagem é mais factível quando se trabalha com ERPs em cloud. Por exemplo, unidades centrais podem ter um uso mais intenso com as ferramentas de gestão de finanças, enquanto as subsidiárias podem ter mais flexibilidade para atuar frente a variações nas condições do negócio. 

Segundo palavras da Gartner, vale a pena “avaliar se uma estratégia ERP em dois níveis poderia oferecer mais vantagens do que uma solução única para todos, principalmente para modernizar pequenas unidades de negócios com potencial para um rápido crescimento”.

#03 Inteligência artificial 

Machine learning e Big Data são parte integrante de qualquer ERP que busque realmente agregar valor à gestão de uma organização. 

Neste sentido, a tendência em 2021 é que a inteligência artificial (IA) e as tecnologias que citamos no parágrafo anterior trabalhem juntas para tanto ajudar na crescente demanda por personalização como na otimização de todos os processos de um empreendimento. 

A IA pode colaborar para as organizações, por exemplo, fornecendo insights. 

Como existem cada vez mais dados à disposição (de fato, a quantidade de dados dobra a cada dois anos), a IA pode ser usada para obter insights valiosos com base em suas informações. 

Capaz de analisar inclusive informações não estruturadas (vídeos, áudios, e-mails e documentos em geral), a IA consegue identificar padrões nas informações subjacentes e inclusive realizar análises preditivas. 

A hiperautomação, por exemplo, combina a IA com outras tecnologias para otimizar a automação existente em sua empresa. Isso mesmo: os algoritmos já podem ajudar sua empresa a melhorar processos, e não só executá-los automaticamente. 

#04 Personalização acessível

Se houvesse que ser feita alguma modificação em um ERP, o mais comum era deparar-se com plataformas muito difíceis de customizar.

Era necessário gastar horas e horas com desenvolvimento para adaptar uma solução para as especificidades de um negócio. Agora, a tendência é aproveitar as vantagens do ERP em cloud para configurar seu ERP de forma mais simples. 

É o que se pode chamar de low-code ou de no-code, onde as plataformas têm uma configuração leve

Por outro lado, além de facilitar a personalização, as plataformas também estão desenvolvendo módulos e soluções ERP adaptadas às necessidades de setores específicos. 

#05 Atendimento automatizado de ponta a ponta 

Falar em chatbot antigamente era logo encontrar certa resistência e casos onde a experiência com este tipo de automação não tinha sido muito positiva. 

Com a evolução das tecnologias conversacionais, a tendência é de que os chatbots conquistem cada vez mais espaço daqui para frente. De fato, segundo uma pesquisa, 47% das companhias pretendem usar chatbots para serviços de suporte e 40% delas querem aproveitar este recurso em assistentes virtuais. 

Os chatbots estão se tornando mais humanos. Seja em relação à interpretação de mensagens abertas (quando o usuário dialoga com textos livres) ou em sua capacidade de aprender com o tempo, as interfaces conversacionais definitivamente fazem parte da nova realidade dos ERPs.

Poderíamos passar horas falando das novas tendências relacionadas aos ERPs. O que é inegável é sua importância para a manutenção da competitividade, em um período no qual enfrentamos ainda mais limitações por causa da pandemia. 

Aqui na Spread estamos sempre abordando os temas mais atuais relacionados a como a tecnologia da informação pode ajudar sua empresa. Entre em contato com nossos consultores e saiba mais!

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre o seu e-mail para receber os nossos conteúdos