por | mar 1, 2022

RPA x API: qual automação escolher?

Atualmente, os líderes de negócios, gestores e stakeholders em geral já entenderam que a automação, seja RPA ou API, é a chave para o crescimento de seus negócios. 

Afinal de contas, o uso de tecnologias de automação em setores como operações, finanças, recursos humanos ou mesmo em áreas mais estratégicas permite que os colaboradores se concentrem em tarefas críticas e mais relevantes para os empreendimentos. 

Mesmo assim, na hora de escolher entre as tecnologias como a RPA (Robotic Process Automation) ou API (Application Programming Interface), é comum encontrar um certo nível de indecisão sobre qual é a mais indicada para cada caso. 

Talvez a principal diferença entre elas é que uma atua como um parceiro integrado (API) dentro do sistema, e a outra funciona como um usuário convidado (RPA) fora do sistema.

Ainda assim, as duas formas de automação demandam a programação de conjuntos lógicos de decisões, escrita de códigos e ações que são executadas inúmeras vezes, todos os dias. 

De fato, ambas as escolhas têm suas vantagens e desvantagens. Confira agora quais são elas!

RPA e API, como identificar cada uma?

Começando pela API, trata-se de um conjunto de sistemas que são criados para fazer com que um software possa usar suas funções em outros softwares. 

Por exemplo, quando você acessa um aplicativo em seu celular, esse app se conecta à internet e manda informações para um servidor. 

Na sequência, esse servidor recebe os dados, interpreta cada um, executa as ações necessárias e manda o resultado de volta para seu smartphone. Com isso, o mesmo aplicativo mostra para você as informações que você solicitou. 

Tudo isso acontece em função da existência de uma API.

Já quando falamos de RPA, nos referimos a sistemas ou softwares que automatizam tarefas manuais, tudo com base em regras específicas, previamente criadas. 

Um software RPA pode, entre outras coisas, ter acesso a dados de vários bancos de dados e de programas e atualizá-los, mandar e-mails automáticos, realizar procedimentos de autorização (como de acesso, por exemplo) e coletar dados em outras fontes. 

Lembra do que falamos na introdução, sobre a atuação interna e externa de cada sistema de automação? 

Pois bem, explicando um pouco melhor essa diferença, uma API só é capaz de interagir com um aplicativo de destino por meio de backend, já uma RPA pode se comunicar com outros apps tanto por backend como frontend. 

Na prática, isso significa que os robôs do RPA são capazes de executar funções no próprio aplicativo de destino, tais como escrever uma mensagem, ou mesmo clicar em um botão, da mesma forma como um ser humano faria. 

É fundamental escolher a tecnologia mais adequada para seu negócio para que a sua transformação digital seja um sucesso. Com uma escolha acertada, o retorno do investimento esperado acontece de forma mais rápida. 

E já que cada negócio tem seus processos específicos, a melhor opção vai variar, conforme cada caso. 

Vamos dar uma olhada para que uma RPA ou uma API são mais indicadas?

Quando usar RPA ou API?

A RPA é mais adequada na hora de integrar aplicativos que não expõe um serviço da web ou uma API. Em outras palavras, uma RPA permite que a automação aconteça no nível da interface do usuário (UI).

Quer alguns exemplos? Como a RPA pode ser aplicado em tarefas que exigem métodos de processamento idênticos aos realizados por humanos, esta automação é muito útil para:

  • processamento de faturas;
  • aplicativos de cartão de crédito;
  • processamento de reclamações de clientes;
  • web scraping (coleta de dados estruturados na web);
  • entre outras.

Uma RPA implementa a automação dessas tarefas e permite economizar em mão de obra. Com isso, podem ser observados ganhos em produtividade, eficiência das operações e inclusive uma melhoria na experiência do cliente. 

Algo a destacar nas RPAs é que esta tecnologia permite ganhos rápidos, ou seja, o retorno do investimento no curto prazo é relativamente mais fácil de se atingir. Em cenários onde os esforços de integração são muito grandes, ou quando o orçamento de TI é limitado, uma RPA permite ajustes mais rápidos. 

Já quando falamos de APIs, elas oferecem a possibilidade de uma abordagem simples, mas ainda assim, bastante flexível e, melhor ainda, escalável.

As APIs são ideais para que uma organização participe e explore a economia digital em todo o seu potencial. Em suas várias modalidades de desenvolvimento, são uma janela da empresa com o mundo externo e aplicações de outros sistemas.

Em suas aplicações mais recomendadas, podemos destacar o uso em:

  • integração de vendas digitais;
  • marketing em suas várias modalidades;
  • comercialização de serviços e produtos;
  • branding;
  • conexão com outros canais, de processos e negócios estabelecidos. 

As APIs são mais previsíveis, já que as funções que a TI vai programar devem seguir configurações e modelos específicos. Mesmo assim, demandam um maior conhecimento, além de habilidades de integração mais especializadas. 

RPA ou API: Uma, outra, ou ambas?

Ao invés de pensar na oposição entre as APIs e RPAs, o ideal é que as empresas aproveitem estas abordagens de forma complementar, de acordo com os casos onde cada uma delas pode ser mais interessante. 

Na hora de proceder com integrações mais profundas, quando o uso de APIs é uma possibilidade, vale a pena investir nisso. 

Já quando a necessidade passa pela automatização de tarefas repetitivas e de menor valor agregado, a RPA é a melhor opção, principalmente pela sua rápida implementação e menor custo de desenvolvimento associado. 

Por um lado, as RPAs servem à expansão de possibilidades no que se refere à experiência do usuário (UX). Neste sentido, os fluxos de automação, tão populares e úteis para os novos tempos, podem ser criados com esforço mínimo. 

E se os RPAs podem automatizar uma série de tarefas, as APIs podem entrar como a ‘força invisível’, ao fornecer os acessos e os dados para que aplicativos locais, como os SaaS (software as a service) para entregar um grau ainda maior de automação. 

A Spread é especialista em fornecer ambos os tipos de automação. Se você ainda tem dúvidas sobre a implementação de sua API ou RPA, ou está em busca de um parceiro para automatizar os processos do seu negócio, não deixe de entrar em contato conosco!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre o seu e-mail para receber os nossos conteúdos